Grupo B da Copa América 2021

O Grupo B da Copa América 2021 colocará frente a frente, além da Colômbia, o embate entre Brasil e Peru, que decidiu a última edição do torneio sul-americano. Além deles, ainda integram a chave do país sede: Venezuela e Equador.

O grupo ainda teria a participação do Catar, que acabou desistindo da competição por mudanças no calendário asiático para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, do qual será o anfitrião. Como não havia tempo hábil, a Conmebol optou por manter o grupo com cinco seleções, sendo que quatro avançam às quartas de finais.

Atual campeão, o Brasil é favorito para vencer a chave. Porém, não podemos descartar o bom futebol dos colombianos e a ascensão recente de Equador, Venezuela e Peru, esse último atual vice-campeão do certame. O certo é que teremos duelos animados no Grupo B.

Calendário da Copa América 2021 Grupo B

Data Hora* Partida Resultado Sede
13 de junho 2021 18:00 Brasil x Venezuela 3:0 🇧🇷 Brasília
13 de junho 2021 21:00 Colômbia x Equador 1:0 🇧🇷 Cuiabá
17 de junho 2021 18:00 Colômbia x Venezuela 0:0 🇧🇷 Goiânia
17 de junho 2021 21:00 Brasil x Peru 4:0 🇧🇷 Rio Nilton Santos
20 de junho 2021 18:00 Venezuela x Equador 2:2 🇧🇷 Rio Nilton Santos
20 de junho 2021 21:00 Colômbia x Peru 1:2 🇧🇷 Goiânia
23 de junho 2021 18:00 Equador x Peru 2:2 🇧🇷 Goiânia
23 de junho 21:00 Brasil x Colômbia 2:1 🇧🇷 Rio Nilton Santos
27 de junho 2021 18:00 Equador x Brasil 1:1 🇧🇷 Goiânia
27 de junho 2021 18:00 Venezuela x Peru 0:1 🇧🇷 Brasília

Todo o calendário está na hora do Brasil (GMT-3).

Análise do Grupo B da Copa América 2021

Brasil: Atual campeão e favorito ao décimo caneco

A seleção brasileira desponta como a grande favorita da Copa América para a conquista do título, não somente por ser a atual campeã do torneio, mas também pelo bom futebol apresentado em amistosos e Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 e, agora, ser a sede do campeonato.

Comandado por Tite, a seleção canarinho aposta em uma geração renovada para conquistar sua décima taça na história do torneio. E há motivo para tamanha empolgação: esse grupo, que começou a ser desenhado lá na última Copa América, em 2019, quando o Brasil faturou o caneco em casa, lidera as eliminatórias e vem ganhando corpo como conjunto.

Além de Neymar, que assumirá o papel de liderança técnica e dentro do grupo, a seleção brasileira tem como grandes estrelas o goleiro Alisson (Liverpool), o zagueiro Marquinhos (Paris Saint-Germain) e os atacantes Richarlison (Everton) e Gabriel Jesus (Manchester City), certamente das peças mais cobiçadas do planeta em suas respectivas posições.

Colômbia: reviverão 2001?

A seleção da Colômbia, que é comandada pelo multicampeão Reinaldo Rueda, quer reviver o espírito de 2001, quando sediou o torneio pela primeira vez e também conquistou seu único caneco na história do certame.

Se não podem contar com nomes como Aristizábal no ataque e Ivan Córdoba na defesa, Los Cafeteros depositam esperança na geração que levou a Colômbia às quartas de final da Copa do Mundo de 2014 e 2018, e que ainda vêm mantendo-se em destaque no cenário mundial. A eles, somam-se novos atletas de destaque.

Nomes como James Rodríguez (Everton), Falcao García (Fenerbahçe) e Cuadrado (Juventus) ganharam a companhia de Yerry Mina (Everton) e Luís Muriel (Atalanta).

Equador: Mescla é a aposta para surpreender

O arranque do Equador nas Eliminatórias da Copa do Mundo 2022 CONMEBOL, onde ocupa atualmente a terceira posição na tabela, com três vitórias e uma derrota, não veio por mera obra do acaso. Misturando experiência com uma fornada de jovens promessas, “La Tri” é uma das apostas para fazer bonito nesta edição da Copa América.

Parte disso deve-se ao trabalho de Gustavo Alfaro. O comandante argentino colocou uma seleção com rápidas transições, que encaram de igual para igual qualquer adversário.

Para tal, ele conta com a sorte de ter a experiência de Enner Valencia, do Fenerbahçe, como capitão e principal nome do ataque. O rápido atacante, que é o maior artilheiro da história da La Tri, terá ao seu lado jovens companheiros, como Gonzalo Plata, terceiro melhor jogador do Mundial Sub-20 de 2019.

Peru: atual vice-campeã quer provar que não está envelhecida

Não foi nenhuma surpresa ver o Peru chegar à última final da Copa América. Sob o comando de Ricardo Gareca, a Rojiblanca vinha de uma heroica classificação para a Copa do Mundo de 2018, com uma das melhores gerações de sua história, capitaneada por Paolo Guerrero, e fez bonito em solo tupiniquim.

Boa parte daquele grupo continua na ativa, como o próprio Guerrero (Internacional), Cueva (Al-Fateh) e Farfán (Alianza Lima). Porém, o desafio agora é fazer com que o grupo consiga se recuperar dentro de campo e não contar só com o bom retrospecto de outrora, já que vem sendo apontado como envelhecido por parte da crônica esportiva do país andino.

Venezuela: o vinho tinto pode surpreender

Se tem uma seleção que vem chamando a atenção na América do Sul nos últimos anos, essa é a Venezuela. Outrora saco de pancadas, a “Vinho Tinto” vem alçando bons resultados na base e, consequentemente, seguindo forte na luta para alcançar voos mais altos no futebol mundial.

Parte disso deve-se à soma de talentos já consagrados como Soteldo, um dos principais nomes do Santos, com boas promessas, como o goleiro Wuilker Fariñez (Lens). Sob o comando do português José Peseiro, eles podem ser a grande surpresa desta edição.

Previsão para o Grupo B da Copa América 2021

Logicamente que previsões são apenas palpites, mas podemos esperar o Brasil favorito em busca de seu décimo caneco no certame. Porém, o Grupo B é promessa de jogos equilibrados e bom futebol, já que temos nomes de destaque em quase todas as seleções.

A Colômbia vem com uma geração experiente e é favorita para brigar com o Brasil pelo topo da chave. Porém, convém não desacreditamos de Peru, Venezuela e Equador.

>> Voltar a todos os grupos da Copa América 2021