Felipão e Aguirre entram na mira de Paraguai e Uruguai; entenda a dança dos técnicos

Publicado em Categorias Futebol internacional

As rodadas de outubro das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo Catar 2022, impactaram diretamente no rumo dos comandos de duas das principais seleções do continente. No Paraguai, o argentino Eduardo Berizzo deixou o cargo após ser goleado pela Bolívia, por 4 a 0, também pela disputa de uma vaga para a Copa do Mundo 2022. No Uruguai, Óscar Tabárez balançou após os tropeços contra Argentina e Brasil. E para seus lugares, Felipão e Aguirre, respectivamente, foram cotados.

No caso de Felipão, que recentemente deixou o Grêmio, após campanha aquém do esperado no Campeonato Brasileiro, houve uma recusa. Ele estava no topo da lista de treinadores para assumir a seleção guarani, chegando a receber o convite da Associação Paraguaia de Futebol. Porém, o pentacampeão do mundo afirmou que não aceitaria um novo trabalho neste momento.

Além de Scolari, a Seleção Paraguaia mira Hernán Rodrigo López, atualmente no Nacional-PAR, Fernando Jubero, comandante do Guaraní, e o técnico argentino Gustavo Costas, que está sem clube.

Tabárez na corda bamba

Por outro lado, Óscar Tabárez, no comando da Celeste desde 2007, está na corda bamba. Seu nome chegou a ser colocado em xeque após a campanha oscilante nas Eliminatórias, mas foi bancado ao menos para as rodadas de novembro, quando voltará a pegar a Argentina, que venceu os charruas por 3 a 0 em outubro. Não à toa, o nome de Diego Aguirre, atualmente no Inter, pinta forte para substituí-lo. E o treinador colorado fez questão de negar qualquer contato.

 

“Se falou muito, mas eu não recebi nenhuma chamada de ninguém. Nem o Inter. Foi algo que existiu, uma possibilidade, mas não falamos disso. Pensamos no jogo. Óbvio que gerou uma expectativa, mas antes do jogo veio a informação da sequência (de Tabárez) e não atrapalhou”, disse o comandante.

 

Ainda assim, Aguirre admitiu a possibilidade de substituir “El Maestro” no comando da Celeste a partir de janeiro.

 

“Eu me sinto muito melhor com algo que começa. Estou muito feliz no Inter. Às vezes, as coisas acontecem e você não imagina. Minha ideia é cumprir o contrato com o Inter, fazer o melhor possível para continuar. Gosto de falar de coisas concretas, certezas. Isso (treinar a seleção uruguaia) é uma possibilidade. Se aparecer, veremos. Hoje está tudo tranquilo”, completou.

 

Mais informações: